25.11.10

WE LOVE CONVERSE


Popularizado e imortalizado pelo jogador de basquete Chuck Tauylor em 1918 - que até batizou o modelo - e consumido como uma febre nos anos 80, os tênis de lona e borracha conhecidos aqui como "All Star", deixaram de ser básicos há séculos. A história pode começar no basquete, porém, na década de 1950, o tênis virou uniforme entre a juventude rockabilly, os punk rockers adotaram o modelo como uma tendência de moda até o fim da década de 70 e graças a Kurt Cobain, os anos 90 puderam conferir a volta do fenômeno "All Star". Pelo menos, nos seis últimos anos tornaram-se novamente uma mania mundial deixando muitos caretas de plantão bem antenados com as tendências de moda. Até Christian Louboutin rendeu-se ao Sneacker e lançou para a sua coleção de primavera/verão 2010 uma versão punk, de causar delírio de tão fashionista. Recentemente, o tradicional "All Star" - como é conhecido aqui no Brasil - cedeu espaço aos Skechers porém, aliada à evolução e vontade do consumidor, a "Converse" - nome real da marca - sempre apresenta novidades além das expectativas e que logo viram objeto de desejo.

Lembra da linha baseada nas bandas de rock? Até o clássico modelo "Chuck Taylor", aquele que todo mundo tem - branco ou preto - já ganhou uma paleta multicolorida, seja cano alto, baixo ou até mesmo sem cadarço que com certeza deixa menos minimalista qualquer visual camiseta branca + jeans.

O básico e clássico modelo "Chuck Taylor",
mais conhecido entre nós como "All Star Preto"

Converse da série "Music", com estampa da banda "The Clash"

Aqui no Brasil podemos encontrar muitas variedades e até mesmo linhas exclusivas a preços exorbitantes, porém, os pés sempre estarão calçados em conceito. Como a "Premium Line" e seus modelos "Jack Purcell" bem europeus, tipo docksides:

Modelo de couro inspirado no dockside
da Premium Line "Jack Purcell" para Converse

John Varvatos, designer norte-americano e o ilustrador brasileiro Felipe Jardim também assinam linhas e modelos que já podem ser encontrados aqui devidamente cobrados em REAIS.

Releitura do clássico modelo "Chuck Taylor", por John Varvatos

Modelo exclusivo e tradicional de lona
para a linha do cartunista Filipe Jardim

Há algo de mais fashionista no mundo Converse, o que nem precisava, já que os modelos acima já falam por sí. Uma das marcas de tricô mais tradicionais do mundo, a italiana Missoni, lançou um modelo exclusivo de inverno 2010 em parceria com a Converse que já pode ser encotrado aqui no Brasil na própria loja da Missoni localizada no Shopping Iguatemi de São Paulo. Outras marcas de luxo como Gucci, Prada, Alexander McQueen e as brasileiras Reserva e Imaginarium, também prestaram suas parcerias de puro desejo de moda junto à Converse.

Modelo Missoni, desenvolvido em parceria com a Converse,
traz a famosa estampa da grife e detalhes em couro no forro e língua.

E nesta quarta-feira, a Converse iniciou um projeto especial de customização nas lojas inglesas "Offspring" e "Selfridges". Nelas, quem comprar o clássico "Chuck Taylor "poderá personalizá-lo escolhendo entre uma seleção de mais de 200 gráficos diferentes por um custo adicional que vai de 10 a 25 libras, que pode ser aplicado na língua, painel lateral ou no tênis inteiro. Bacana, né? Mas como não estamos na Inglaterra, os Converse-Maníacos podem encontrar alguns modelos como o tradicional "Chuck Taylor", "All Star Premiere", "CTAS Vintage" e "Pro Soul Leather," nas lojas Renner, a preços acessíveis. E costumizá-los, por quê não? Ultimamente eu estou louco pelo modelo "Skid Grip"!

Por fim, como tudo tem uma questão comercial e visão para o momento e desejo de consumo do mercado, as campanhas da Converse atualmente estão bombando no Planeta Pop com artistas renomados. Em 2008, N.E.R.D., Santogold, e Julian Casablanca - membro da banda The Strokes, gravaram uma campanha publicitária animadíssima que detonou o conceito must-have do produto:


Recentemente foi lançada a canção "All Summer", que reuniu o rapper Kid Cudi, Rostam Batmanglij ("Vampire Weekend") e Bethany Cosentino ("Best Coast"). Bernard Sumner ("New Order"/"Joy Division"), Alexis Taylor e Joe Goddard (membros do "Hot Chip") gravaram a música "I Didn’t Know What Love Was". As cançõe fazem parte da série online "Exclusive Musical Collaboration" patrocinada pela marca Converse.
Depois de tantas enaltações, deu vontade de calçar o seu "Chuck Taylor"? Sim, e faça com vontade, pois essa tendência pretende durar e muito pelas ruas! Sites Oficiais: www.converse.com www.converseallstar.com.br

18.11.10

"The Walking Dead": minha nova série preferida

Minha nova série preferida mal começou e já tem 2ª temporada prevista para outubro de 2011. Falo de "The Walking Dead", que teve sua estréia dia 2 de novembro aqui no Brasil pelo canal FOX e que levou um monte de gente a uma viagem no tempo, junto a George Romero que despertou histeria e terror coletivo nos 60´s com seu clássico "Night of the Living Dead". A série promete detonar uma nova estética de seriados, que seguida de "True Blood", inclui em seus temas principais discussões sobre a sociedade, haja vista, que num mundo que acabou e só restam alguns humanos e zumbis, novos ideais devam surgir e conseqüentemente, o que servia até então de parâmetro acaba caindo por terra.

Com cenas nervosas e terror psicológico, a série "The Walking Dead", baseada na HQ de Robert Kirkman, conta a história de um grupo de pessoas que tenta sobreviver em um mundo em que a maioria se tornou zumbis. A série, produzida pelo canal pago AMC, teve uma estréia bombástica nos EUA no dia 31 de outubro, já que o episódio piloto foi visto por 5,3 milhões de espectadores. Aqui no Brasil soube depois que causou polêmica, já que o episódio original de 90 minutos foi redusido a 54 e ainda mais, dublado. Ainda assim foi mais que um ponto de partida para se viciar no delegado Rick Grimes (Andrew Lincoln) que depois de levar um tiro, acorda de um coma sabe-se lá depois de quanto tempo e vê sua cidade - talvez o mundo - devastado por um "apocalipse zumbi".

O mais interessante é que apesar de ser um tema bem óbvio, a história consegue deixar uma tensão no ar de que a qualquer momento todo mundo irá ser atacado por um zumbi. Um não, pois a cartilha ensina que o problema maior é quando eles aparecem em grupos, aí sim a coisa fica mega tensa. Outra diferença, é que na série, os zumbis não estão atraz de cérebro, mas sim, qualquer ser vivo que se mova - oi George Romero again!

Até aqui, os três episódios já mostraram o nosso herói Rick Grimes descobrindo toda a tragédia e à procura de sua família; um pai e um filho desolados pois a amada esposa e mãe se transformou em zumbi e os dois não têm coragem de esterminá-la; o nosso herói Rick Grimes provou que sozinho em meio a uma centena de zumbies não é nada nessa terra apocalíptica; o nosso herói Rick Grimes encontrou alguns sobreviventes, entre eles, sua esposa e filho e seu amigo e parceiro Shane (Jon Bernthal) que está apaixonado pela esposa de Rick e isso ainda vai dar muito pano pra manga, pois um triângulo em meio ao cáos promete muitos báfus por aí e no segundo episódio, o melhor até então, o radicalista, preconceituoso e até então vilão Merle, vivido pelo sempre bad boy Michael Rooker, foi deixado algemado em um prédio invadido por famintos zumbies e pasmamente não se encontra mais lá, já que o nosso herói Rick Grimes voltou com os outros sobreviventes para salvá-lo...Vamos ver até quando dura essa bondade, já que a saga ainda contará com uma nova comunidade de sobreviventes chamada Woodbury que tem um ditador em sua adminstração, pintarão canibais e uma cidadezinha fechada e segura, mas que esconde um grande segredo e por aí vai...

Ainda não se sabe como tudo aconteceu, muitos fatos serão explicados, obviamente, como ocorreu a pandemia, como o primeiro grupo de sobreviventes escapau dos ataques, quanto tempo Rick Grimes ficou em coma, se de fato existe uma cura...Muita coisa há por vir e por enquanto, adorando tudo!

6.11.10

DJ-SET:: Joey Negro presents AKABU - House Music DeLux

O produtor inglês David Russell Lee tem mais de 20 anos de carreira em meio a pseudônimos mil. Mais conhecido como Joey Negro, David lançou no mês passado mais um projeto/persona, intitulado "Akabu". O blog NA LÍNGUA DO JU presenteia seus leitores com um playlist - com mais de 60 minutos - totalmente fervido e jogativo com influências da disco house, acid house, old shcool e muito mais. Para este sabadón chuvoso e quente, totalmente propício à saída rasante pela cena, aqueça ainda mais os seus ânimos e se joga!

 
NA LÍNGUA DO JU ® - 2017